sexta-feira, 9 de março de 2007

Um rio como cenário

No passado dia 2 de Março, com iniciativa da AARIS (Associação dos Amigos do Rio Sousa) e da Associação Recreativa Novelense, realizou-se um debate sobre "Ambiente - Rio Sousa na Rota do Românico". Foram muitos os que quiseram participar neste evento, e se deslocaram à sede da ARN, para ouvir os intervenientes.





Moderado pelo Engº Adelino Correia Presidente da Secção de Pesca desta associação, a mesa ficou composta com os seguintes intervenientes: Dr Antonino de Sousa, Vereador da Câmara Municipal de Penafiel, o representante da GNR (SEPNA) Sargento-chefe Magalhães, Dr. Pedro Machado Gomes, Vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Lousada e Drª Rosário Correia Machado, Coordenadora da Rota do Românico e Técnica da CUVS.

A cerimónia de abertura esteve a cargo do Presidente da ARN, Bruno Monteiro, do Presidente da Junta de Freguesia de Novelas, Alberto Monteiro e do coordenador da AARIS, Napoleão Dias Monteiro.



A sala da ARN, encheu-se para este debate, há muito que não se via a sala desta nobre associação repleta.
A participação dos vereadores das câmaras de Penafiel e de Lousada, foi com o intuito, de cada um nos elucidar do que está a ser feito e do que poderá fazer-se para melhorar e preservar o ambiente, bem como, a acção que o SEPNA, está a levar a cabo na fiscalização do nosso meio ambiente e envolvente. São acções como estas que fazem do nosso meio, um local mais digno de se viver.


Esta iniciativa teve um grande impacto, não fosse o rio Sousa, não só aquele que divide a freguesia e que é admirado por todos, mas aquele, que em tempos foi local de lazer para os seus habitantes. Agora, apenas passa por Novelas... as suas águas que outrora foram límpidas e onde as pessoas se banhavam nos dias de mais calor, agora nem os peixes querem por lá passar.
Acreditamos, que iniciativas deste género possam alertar as populações para a poluição que corre nos nossos rios e que tanto no angustia.
Neste debate muito se disse para bem do ambiente, mas muito ficou por dizer. Agora cabe a cada umde nós, refletir e tentar fazer deste "nosso" rio, o rio de outros tempos.